Siga-nos

Perfil

Expresso

A Tempo e a Desmodo

Temos um "jotinha" como primeiro-ministro

Aos 52 anos, José Sócrates ainda se comporta como um "jotinha", que defende os outros "jotinhas", mesmo quando um desses "jotinhas" traiu o presidente da maior empresa portuguesa.

Henrique Raposo (www.expresso.pt)

I. Na entrevista a Miguel Sousa Tavares, José Sócrates deixou cair uma frase que revela a sua mentalidade de "jotinha": "não faço julgamentos dos meus amigos". Com esta frase, José Sócrates revela que está a proteger os "jotinhas" do PS envolvidos no caso PT/TVI. José Sócrates está, sobretudo, a proteger aquele menino-que-é-rico-aos-32-anos-só-porque-fez-parte-da-juventudade-socialista. E a pergunta que se impõe é esta: por que razão José Sócrates proteger um indivíduo que "encornou" Henrique Granadeiro?

II. OK, vamos lá acreditar que José Sócrates não sabia do plano. OK, vamos lá acreditar que, como dizia Miguel Sousa Tavares, Rui Pedro Soares e Paulo Penedos invocaram o nome de José Sócrates porque são "loucos". OK, vamos lá acreditar nisso. Mas, mesmo assim, José Sócrates não pode ficar calado a partir do momento em que Granadeiro lança aquela bomba, digamos, vocabular, e, acima de tudo, José Sócrates não pode ficar calado a partir do momento em que os dois administradores da quota do Estado apresentam a demissão. Sobre isto, o primeiro-ministro tem de dizer alguma coisa.

III. Mas o primeiro-ministro não vai dizer nada. Porque a sua lealdade de "jotinha" parece que está acima dos seus deveres como primeiro-ministro. José Sócrates nunca vai condenar a actuação de Paulo Penedos e Rui Pedro Soares. Porquê? Porque são seus amigos. Não é lindo? Neste momento, José Sócrates é líder da JS antes de ser chefe do executivo. Em Portugal, no ano da graça de 2010, os amigos "jotinhas" do primeiro-ministro parece que estão acima do bem e do mal. Que notável dignidade institucional, dr. Sócrates.