Siga-nos

Perfil

Expresso

A Tempo e a Desmodo

Os deputados ganham muito ou pouco?

Henrique Raposo (www.expresso.pt)

Um deputado ganha bem? Conheço pessoas que dizem que não. Parece que 3600 euros é pouco. E, de facto, 3600 euros deve parecer uma mesada de garoto para quem ganha 5000 euros ou mais numa empresa ou escritório. Eu percebo essa sensação, pois o dinheirinho é sempre uma coisa relativa. Percebo a sensação, mas não aceito o argumento de que os deputados deviam ganhar mais. Num país como Portugal, 3600 euros é uma soma aceitável por duas razões. Em primeiro lugar, o salário médio dos portugueses ronda os 900 euros; como se compreenderá, a distância entre o representante e o representado não pode aumentar muito mais. Em segundo lugar, não seria admissível que um deputado português ganhasse tanto como um deputado sueco (4800 euros), francês (5.000 euros) ou alemão (7.000 euros). A malta bem abonada tem de perceber que o serviço público é isso mesmo: serviço público. "Ai, mas assim não atraem os melhores". Se precisam de ganhar um balúrdio londrino para servir o país durante quatro ou oito anos, então tenho uma novidade: os melhores não são os melhores.

Se não aceito o argumento elitista, também não aceito o argumento populista que anda por aí nas ruas e nesse novo táxi chamado Facebook. Sim, a ideia de que 3600 euros é um salário altíssimo para um deputado fica bem classificada no campeonato populista. Esta ideia (peço desculpa pelo eufemismo) é só mais uma acha da fogueira do populismo analógico e virtual: as pessoas acham mesmo que cortar nos salários e reformas dos políticos é meio caminho andado para a resolução da crise. Contra este populismo, é preciso dizer que um deputado é um deputado. A democracia e as suas instituições não são grátis. Porém, isto não quer dizer que não devemos repensar o salário dos deputados. Pelo contrário.

A Eslováquia, um país espertalhaço a que devíamos dar mais atenção, debateu bem a questão. Os democratas cristãos lá do sítio apresentaram uma proposta interessante: o salário dos deputados devia ser indexado ao salário médio nacional; se o salário médio do país sobe num ano, o salário dos deputados também sobe; mas se a riqueza nacional desce, o mesmo acontece ao rendimento dos deputados. Se a memória não me falha, aquelas contas eslovacas decretavam que o salário do deputado devia ser o triplo do salário médio nacional. Como aplicar este tipo este raciocínio a Portugal? Bom, se pensarmos que 900 x 4 = 3600, poderíamos fixar esta fórmula e aplicá-la todos os anos com a precisão do picuinhas. Segundo os dados mais recentes do Pordata, o salário médio dos portugueses é de 867 euros, logo o salário dos deputados deveria ser 3468 euros

Julgo que esta é uma ideia porreirinha para a tal refundação.