Siga-nos

Perfil

Expresso

A Tempo e a Desmodo

O piadão de Noronha de Nascimento

É uma questão de facto: um tribunal especial para jornalistas é uma coisa de ditaduras.

Estou solidário com o Dr. Noronha de Nascimento. O Presidente do Supremo Tribunal de Justiça quis fazer uma piada, mas a malta não percebeu. A malta, coitada, fez uma leitura literal da piada, e não captou o refinado sentido de humor do Dr. Noronha.

Qual era a piada? Que Portugal devia ter um tribunal especial para jornalistas. Isto já era humor brilhante. Mas depois ainda veio o toque de génio nonsense: esse tribunal devia ter representantes da estrutura política do Estado com poderes disciplinares sobre os jornalistas.

Eu fico um pouco chateado com a malta por não ter percebido que isto é uma piada. Porque só pode ser uma piada. Se isto fosse mesmo aplicado, Portugal seria, no mínimo, expulso da União Europeia, não por infracções económicas, mas por infracções bem piores: a infracção das regras de uma sociedade livre.

Meus caros, era piada. Nenhuma democracia tem um tribunal especial para jornalistas. Nas democracias os magistrados defendem a liberdade de expressão, não a atacam. O Dr. Noronha só tentou fazer uma piada.